Ache aqui o que você procura!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

CONVERSAS - Quando o cansaço pesa


A convidada de hoje pra nossa CONVERSA é nada menos do que a chique, elegantérrima e muito fina Aline da Silva Dexheimer (ou seria eu a chique por tê-la aqui?) lembram dela? Escrevi sobre ela quando ganhei de presente o livro O Brilho Oculto (leia o post aqui) escrito por ela. 

Depois de ler o livro com a avidez de quem está há dias no deserto e encontra uma fonte de água fresca, me pus a conversar com a Aline via facebook. Lendo o livro, me achei tão próxima dela, que a cada página aguardava o momento da revelação de onde é que eu a conhecia. Não encontrei essa revelação no livro, embora suspeitasse conhecer alguns dos lugares que ela descrevia. Foi no face que realmente descobri: fomos "vizinhas" em Porto Alegre, moramos anos muito próximas e devemo ter cruzado o caminho uma da outra inúmeras vezes, sem no entanto nos encontrarmos efetivamente. Mais uma daquelas amizades incríveis que só a internet nos proporciona!

E como temos muito em comum, inclusive um trio de crianças (Aline é mãe de trigêmeos), o texto escolhido por ela é justamente sobre um tema que eu vinha pensando em escrever. Vamos à ele então:


*********************************

Quando o cansaço pesa

Todos os finais de ano praticamente me sinto assim: cansada.  Já não consigo acordar mais na hora e nem dormir tão cedo! O caminho da escola me irrita; as compras do supermercado de repente ficam insuportáveis e levam um tempo interminável; as ideias para o almoço são escassas; a limpeza da casa atrasada; minha cesta de roupas para lavar e a pilha para guardar parece tão mais imensa!

Mãe não tem férias mesmo! Nem quero ter férias dos meus filhos, que fique isso bem claro. Mas o cansaço é real. Nesses casos, me permito deixar as coisas um pouco para depois. Não brigo com meu cansaço. Às vezes, é preciso fechar os olhos para as obrigações e rotinas do dia a dia em prol de situações mais importantes. Nas duas últimas semanas me permiti ficar assim. Deixar os pratos na mesa e sentar no sofá com as crianças; lavar a louça mais tarde, enquanto descemos para dar uma volta no prédio lá embaixo no playground; deixar o quarto da minha filha para organizar depois! Anotar as ideias para não perdê-las, mas escrever em outro momento.

As três últimas semanas foram cansativas porque tivemos um agravante somado ao cansaço natural do final de ano. Minha filha fez uma cirurgia (garganta, nariz e ouvidos). Na primeira semana tive que me concentrar para ficar forte, na segunda encarar e manter a força para deixá-la segura e tranquila, enquanto, ao mesmo tempo, mantinha a casa e o ambiente mais ou menos organizado para os meninos enquanto eu estivesse no hospital. E a terceira, simplesmente eu fiquei meio paralisada e cansada esperando minhas forças voltarem! Durante o tempo todo que estávamos no hospital só pensava em trazer minha filha de volta para casa e ter meus trigêmeos juntinhos outra vez. Graças a Deus tudo passa e tudo deu certo para nós. No entanto, durante o processo e o envolvimento nesse esforço todo, eu fiquei meio esvaziada.

Agora, corro atrás das roupas acumuladas, da poeira nos cantos e daquilo que deixei para trás. Busco minha energia e recomeço. Sem empregada já há bastante tempo, aprendi a não me estressar e não ser escrava do trabalho doméstico. Claro, não gosto de viver na sujeira, mas desacelerar e se permitir jogar os pés para o alto procrastinando o serviço de casa de vez em quando não mata ninguém, o trabalho doméstico é ingrato e quase não aparece. Deixei sim as coisas acumularem e ficarem um pouco empoeiradas; as roupas ficaram a espera para serem guardadas, mas sentei com meus filhos, os levei lá embaixo no playground, assisti a filmes com eles, descansei e também conclui muitas coisas positivas nessas semanas lentas.

Esse tempo reforçou ainda mais minha forma de ver as coisas e viver a vida, ou seja, o que importa mesmo é o aqui e o agora e as pessoas que nós amamos, bem como a saúde delas e as pequenas coisas simples da vida, como por exemplo, um filho sem dor. Temos que levar isso sempre dentro de nós, agarrar tais momentos e usá-los de forma positiva quando estivermos encarando neuroses domésticas ou problemas tão bobos do dia a dia, essas coisas são tão pequenas e desnecessárias diante do valor e a saúde dos nossos filhos. Prefiro mil vezes ficar mandando meus filhos pararem de brigar do que vê-los em camas chorando de dor.

Lembre-se que não precisamos de tragédias, doenças e problemas sérios para valorizar tudo àquilo que realmente importa para sermos felizes. O mundo não vai acabar se você deixar a louça ou qualquer outra tarefa secundária para depois.


Aline Silva Dexheimer  é mãe de trigêmeos e começou a escrever a fim de entender, aceitar e encontrar caminhos alternativos para enfrentar as dificuldades da vida. Escreveu o livro “O BRILHO OCULTO” publicado pela Amazon.  Também possui crônicas publicadas pela Editora Mackenzie para livro didático. Escreve sobre maternidade, vida e atitude positivas. Site:  http://www.alinedexheimer.com/




Por: Tuka Siqueira / @TukaSiqueira
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Eu q sou chic lendo este texto e visitando este blog,rsrsrs...
    Cansaço é normal,não podemos é nos entregar...
    Eu deixo muitas tarefas atrasadas por conta de não aceitar me matar por um serviço de casa,acho que ñ podemos nos fazer isso...
    No mais é força na peruca,para resistir até os 45 do 2º tempo e se preparar para o novo ano que está chegando...Bjs,suas lindas!!!

    ResponderExcluir
  2. Sou suspeita para falar da Aline, pois se já gostava dela antes, depois que tive o privilégio de ganhar um exemplar do seu livro gostei mais ainda (essa introdução escrita pela Tuka poderia fácil, fácil, ter sido escrita por mim, rs). Esse ano foi pesado para a maioria de nós, mas falta pouquinho para acabar. Tudo vai terminar numa bonita festa em família, com muitas boas vibrações para 2012!!!

    ResponderExcluir
  3. Show! Foi reconfortante ler isso hj!
    Estou me sentindo exatamente assim essa semana, sem forças, exausta...
    Tb decidi me dar ao direito de esticar as pernas com as minhas filhotas enquanto a roupa acumula um pouco mais para ser guardada!
    Obrigada!
    bjs

    ResponderExcluir

Que bom que você veio!
Deixe aqui a sua impressão,
opinião ou recadinho.
Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...