Ache aqui o que você procura!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Observando Pessoas

Sempre gostei de observar as pessoas, era um hobbie comum nos meus tempos de menina, quando minhas horas de ócio eram mais livres e silenciosas.

 

Com o tempo, as responsabilidades do mundo adulto, o tempo ocioso ficou mais escasso mas com absoluta certeza meus momentos ociosos não são mais silenciosos.

 

Acabei retomando o velho hábito com as minhas viagens, já que passo muito tempo sozinha e esperando.

 

Essa observação é muito interessante. Às vezes, as pessoas se aproximam. Estão ali, na mesma situação, esperando, sozinhas, cansadas. Puxam conversa, se abrem. É impressionante como nessas situações as pessoas contam suas vidas, seus problemas, suas dores sem muito constrangimento para outra pessoa completamente estranha.

 

Apesar de ficar geralmente sozinha, eu evito ao máximo essas aproximações. Antes eu gostava de ter alguém pra conversar e ajudar a passar o tempo, mas depois fui ficando mais egoísta e evitando, porque em ambiente hospitalar ninguém tem boas histórias pra contar.

 

Acabava absorvendo toda a carga emocional das histórias alheias, aumentando meu stress psicológico e meu cansaço mental. Eu pouco ou nada ajudava quem falava e só me prejudicava.

observando

Hoje eu evito ao máximo falar com quem quer que seja nas minhas viagens, procuro o silêncio. Me sento nos bancos da rua, embaixo das árvores, lugar agradável (se você esquecer que está num hospital),próprio pra contemplação.

 

E então observo. É difícil conhecer as pessoas até mesmo quando convivemos com elas, por isso não tenho a pretensão de decifrar ninguém. Só me divirto e exercito minha imaginação e humanidade tentando ir além das aparências.

 

Vejo a maneira das pessoas vestirem-se, a maneira como andam ou falam, a cor da pele, do cabelo, a idade presumida, a maneira como interagem entre si e fico imaginando as histórias que carregam. Quanto mais eu faço isso, mais tolerante com os “defeitos” alheios eu fico. É um exercício muito fascinante.

 

Cada vez que observo uma pessoa, procuro olhar para ela como se tivesse olhando pra mim mesma num espelho. Como eu seria se eu fosse daquela maneira, tivesse aquela aparência, aquela idade? De que maneira eu reagiria a isso ou aquilo? Que preconceitos eu sofreria? Que vantagens eu teria? Que pensamentos ou atitudes diferentes eu teria se eu fosse aquela pessoa?

 

Parece maluquice. Acho que até é. Você já tentou fazer isso?

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Faço mt isso, rs....as vezes penso que essa minha mania de estar 24hras. antenada tenha causado as lesões no cérebro, hahaha!!! Sei lá, sobrecarregou rs!
    Me identifiquei muito com o post :)
    p.s: Tenho uma filha de 1 ano e 4 meses e quero mt engravidar novamente no próximo ano.
    Como foram suas gestações com a EM?
    Bjus!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mel, entre em contato comigo pelo email ktralhas@gmail.com para que eu possa te responder melhor.
      Abraços

      Excluir

Que bom que você veio!
Deixe aqui a sua impressão,
opinião ou recadinho.
Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...