Ache aqui o que você procura!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

A missão de cada um

Acredito que todos nós nascemos com uma missão. Não que o nosso destino já esteja traçado, mas cada escolha que fizemos nessa vida, nos aproxima ou nos afasta dessa missão e quando nos afastamos dela, Deus nos lança desafios para que retornemos ao rumo em que deveríamos estar.

Também acredito que a nossa família não é uma escolha aleatória de Deus, um sorteio de loteria. Nascemos daquela mãe, gerados por aquele pai, com aqueles irmãos, tios e avós, porque todos tem sua importância nas realizações da missão de cada um, estamos todos conectados.

E ninguém nasce com a missão de ser estorvo na vida de ninguém. Se a vida nos leva a encontrar dificuldades em certos relacionamentos, seja por atritos, doenças ou o que quer que seja, cabe a nós compreendermos esses motivos e amarmos ainda mais essas pessoas, para que possamos auxiliá-las e também descobrir que temos muito a aprender com elas.

Vou citar alguns exemplos: Tenho duas amigas que tiveram filhos “diferentes” e isso causa estranheza a quem não vive e nem convive de perto com a diferença e essas crianças a primeira vista, podem parecer “estorvos” para suas famílias.

Essas crianças não nasceram assim porque “Deus quis”, porque Deus não quer o sofrimento de ninguém. O que aconteceu foi um erro médico, ou uma falha genética, ou uma fatalidade ou sabe-se lá o que, não é isso que importa.

Essas diferenças acabam tendo uma função: de esclarecer, de ensinar, de fazer com que os pais dessas crianças e todos que convivem e conhecem elas descobrirem um tipo de amor mais puro e verdadeiro, aquele em que a gente se dá por inteiro, sem esperar ou sequer desejar algo em troca, e é justamente desse amor que se recebe as maiores recompensas.

Cristianne e a pequena e doce Sofia, Fifi para os "íntimos"

Tem como não amar a Fifi?
Uma dessas amigas, a Cristianne. tem EM como eu. Custou a criar coragem para engravidar, pois as limitações da EM são imprevisíveis e isso assusta. Quis arrumar a casa, comprar um carro com porta-malas grande, passar em concurso público...enfim, tudo o que uma mãe previdente faz.  Eis que engravidou, fez planos, teve sonhos, mas sua filhinha nasceu com síndrome de Down. Deve ter sido um choque. Mas a menina é linda, doce e esperta, impossível não amá-la. Fofíssima! E todos nós sabemos que amor é o melhor estímulo que podemos dar aos nossos filhos e que o sorriso deles para nós são a maior recompensa, a cura do nosso cansaço, das nossas dúvidas e desesperanças.

Outra amiga, a Mari Hart, blogueira conhecida, tem um filho, o Léo, com paralisia cerebral e tetraplegia severa, uma criança com quatro anos totalmente dependente pra tudo. Um estorvo? Claro que não! Uma benção! 

Para quem conhece esse menino, logo percebe que mais do que diferente, ele é especial, abençoado.  Transformou a vida de quem convive com ele. Sua mãe é engajada, transformadora e formadora de opinião, consciente de seus direitos e que não hesita em cobrar de quem quer que seja que eles sejam respeitados e através do seu blog (Diário de uma mãe polvo) e da tão julgada super exposição da sua família e do seu filho deficiente, nos mostra que a vida é muito maior do que aquilo que esta em torno do nosso umbigo, acabando com preconceitos e nos levando a conhecer realidades diferentes e nos mostrando que amor é o que gera amor, que não existe deficiência física, mental ou intelectual que impeça uma pessoa de amar e sentir o amor que vem dos outros, e que o amor é a maior de nossas missões e comum a todos nós.
Mari e o alegre e abençoado Léo

Amar a Deus sobre todas as coisas e a teu próximo como a ti mesmo.  Se formos capazes de cumprir essa missão com alegria e desprendimento, qualquer outra missão será fácil de cumprir.

E você, o que acha disso?

-------------------------------------------------------------------------

Imagens: Arquivo pessoal de Cristianne Mega e Mari Hart.
Por: Tuka Siqueira / @TukaSiqueira
Comentários
13 Comentários

13 comentários:

  1. Concordo em tudo com o que vocêe screveu. E, sou prova disso, que o acaso não existe! Nasci virada para aluda, pois "caí" op´s fui adotada por uma família maravilhosa, a melhor que poderia ter! Acredito nisso.

    Lindo post!

    Beijo

    Tati

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo seu texto Tuka! :)
    Assim como você, eu vejo que essas famílias são abençoadas por terem seres com algum tipo de deficiência, pois eles são capazes de transmitir e ensinar um amor que muitos de nós desconhecemos, além de todos os aprendizados.
    Como Kardecista, acredito sim que todos temos uma missão e que somos nós mesmos os responsáveis pela colheita de tudo que plantamos outrora e pelo que estamos plantando hoje. Abençoada seja a Mari Hart por ser como é e ensinar tanta gente que é possível viver e ser muito feliz com as adversidades que enfrente diariamente por conta das limitações do Leo.
    Mais uma vez, parabéns pelo seu texto.
    Bjo bjo

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que vc me fez chorar logo cedo Tuka! rs... Só quem tem é que sabe, sua amiga deve entender o qto é especial criar esses seres tão puros, inocentes e incríveis! Infelizmente quem vê de fora ainda pensa assim, mas como sempre digo que é essa minha missão. Informar e mostrar o lado feliz das diferenças!

    Um beijo grande querida! Um dia lindo pra vc! =))

    ResponderExcluir
  4. Tuka Lindo texto, e concordo com a mari, só quem tem sabe o quanto é grandioso conviver com eles... Verdadeira lição de vida. e tbm acredito que nada acontece ao acaso...

    ResponderExcluir
  5. Lindo, lindo, lindo!!
    Acho muito importante e valioso quem passa pela experiência fazer esse serviço de desmistificação para os que nunca se aproximaram de pessoas "diferentes". Entre aspas... pq diferentes somos todos!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tuka!
    Como você está?
    Amei o post. Achei muito sensível a sua forma de se expressar sobre a nossa missão.
    Também considero, mesmo não acreditando em destino, que cada um de nós tem uma missão, e que esta deve ser cumprida da melhor forma possível.
    Só falta eu saber qual é a minha. x.x
    Mas ainda tem muito tempo pra descobrir.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Poxa Tuka, lindo demais!

    Admiro tua sensibilidade viu...

    Lindas histórias de vida.

    bjs bem grande com lágrimas nos olhos

    ResponderExcluir
  8. É, não é a toa que nos pechamos nessas idas e vindas das vida e não é a toa que coincidências se transformam em amizadas e que às vezes a pressa de chegar em algum lugar torna tudo mais lento.
    Esses dois casos mostrados acima mostram como é na fraqueza e na impotência que crescemos e ficamos mais fortes e mais resistentes a o que virá mais adiante e assim vivemos, aprendendo e compartilhando experiências. E assim ficamos mais sábios e notamos que diferenças existem a todo o momento em qualquer pessoa e que essas diferenças são responsáveis por fazer de nós completos.

    ResponderExcluir
  9. O que eu acho? Que você acaba de faer eu me emocionar com esse lindo texto. Concordo com tudo. Acredito que aqui viemos por uma missão, na busca pela evolução.

    Beijo querida e parabéns pelas lindas palavras!!

    ResponderExcluir
  10. Lindo texto, faz qualquer um chorar e parar pra pensar: Sera que eu teria forcas?Deus nunca nos da cruzes maiores do que conseguimos carregar, como tudo na vida...com amor tudo se da um jeito!

    Bjao.

    ResponderExcluir
  11. Lindo, emocionante e direto, Adorei Tuka, Bjo!

    ResponderExcluir
  12. Belo e iluminada postagem, minha caríssima Tuka: emocionaste-me...

    Sem dúvida, os primeiros momentos são dificílimos, ainda mais para pessoas fracas ou acovardadas por trás de estereótipos de perfeição... Mas que bom que Deus ilumina aqueles que não enxergam ainda direito no escuro e faz com que o inicialmente aparente problema se torne um degrau de uma longa escada para a evolução... Até parece "papo espírita", mas não é: é simples constatação do mundo e de seus percalços como passos para uma evolução...

    Não sabia que tens EM, minha cara... Difícil este mal: vi uma pessoa próxima se acabando aos poucos, meu Deus... Bom, talvez meus conhecimentos superficiais no assunto ainda me assustem, mas, de qualquer forma, desejo-te muita saúde: és um ser humano bonito e especial... Saúde! E bênçãos de Deus por sobre a tua família! Abraço de coração!

    ResponderExcluir
  13. Querida, chorei ao ler seu post, lindo sem ser piegas.
    Eu também tenho uma menina especial... ela tem lesão cerebral q compromete o desenvolvimento intelectual e psicomotor. Ela é minha benção, agradeço a Deus todos os dias por tê-la ao meu lado, de ser daquele jeitinho, de rir daquela maneira, de pediar as coisas daquele jeito... Ela me diverte e me ensina q boba sou eu e que deficiente é o outro que a julga abobalhada e tenta menospreza-la por isso. Já vi crianças chamarem ela de "babona" na minha frente com desdém, como se isso fosse um crime e claro, me deixou triste e com pena da menina que a julgou assim, pois a tal menina que é mal orientada e não sabe respeitar as diferenças... #prontofaleitoleve kkkkk
    Eu sempre digo que filho nos ensina a amar de verdade, nos ensina a doar sem receber em troca e ficar feliz por isso... Cada um desses filhos que vem aos nossos braços tem um motivo muito especial, claro que não é a toa, tem um motivo forte. Ou para nosso resgate, crescimento ou para nos fazer felizes mesmo, ou os dois...
    Amo minha filhota... Ela nunca vai ser meu castigo... Ela é meu presente...

    Bjs!
    sdds

    ResponderExcluir

Que bom que você veio!
Deixe aqui a sua impressão,
opinião ou recadinho.
Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...