Ache aqui o que você procura!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Festas Juninas

A fogueira aquece e ao mesmo tempo, fascina.
As festas juninas da minha infância, sempre tinham fogueira, nem que fosse pequenininha, mas tinha que ter uma fogueira no centro da festa. E a gente dançava ou simplesmente brincava em torno dela. 

Nas festas da escola, tinham barraquinhas com pipoca, pé de moleque, amendoim, bolo de fubá, canjica e outras comidas típicas. Também tinha barraquinhas de brincadeiras, como pescaria, jogo de argolas e outras.

Toda a festa era enfeitada e produzida pelos próprios alunos, passávamos semanas recortando bandeirinhas em revistas velhas, fazendo enfeites, organizando a quermesse.

E tinha o casamento na roça, encenação típica que virava um verdadeiro teatro, onde todo mundo queria participar e brincar, vestíamos roupas esquisitas e dávamos muita risada uns dos outros. 

E ainda tinha a famosa cadeia. Para os mais velhos, artifício encontrado para as paqueras durante a festa. Era só mandar prender uma menina e um menino que andavam "se cuidando" e pronto! Invariavelmente saiam de lá já num papo solto que podia até virar em namoro logo adiante.

Tenho boas lembranças das festinhas da escola ou da igrejinha. Dos concursos de "a mais bela prenda" que eram ganhos com a venda de votos, mais de mês antes da festa, e que por vezes virava uma competição acirrada. Das brincadeiras, das músicas, das comidas gostosas.

Algum tempo mais tarde, as festas já terminavam numa roda de violão madrugada à dentro em torno de uma fogueira qualquer. O quentão às vezes dava lugar a um bom vinho tinto, bebido no gargalo do garrafão, o pinhão assado diretamente na fogueira, vez ou outra aparecia até um pão ou batata doce que aquecíamos no fogo e dividíamos.

Das muitas coisas que vivi na minha adolescência, uma das mais legais, mais divertidas e lúdicas e que me renderam momentos mais reveladores sobre as pessoas que conviviam comigo e também sobre mim mesma, foram as rodinhas de violão em torno das fogueiras noturnas nos terrenos baldios da Av. Cinco.

Bons tempos aqueles, os tempos da inocência. Tempos em que não me zangava ou me magoava com pouca coisa, dava importância só ao que era importante.

As lembranças das minhas festinhas de infância e adolescência  me levaram à refelxões profundas. Ou teriam sido minhas reflexões profundas que me levaram às lembranças?

E vocês, também tem lembranças que te fazem refletir sobre a vida? E as festas juninas, como eram (ou são) por aí?

Por: Tuka Siqueira / @TukaSiqueira
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Como nordestina que sou, amo as festas de São João! Tenho muitas e boas lembranças da época da inocência...

    Adorava dançar quadrilha, as músicas sempre tão alegres e tão genuínas, as comidas que preenchiam os dias de quem as fazia...

    Adoro essa época do ano.

    ResponderExcluir
  2. Ai Tuka...minha infância e festa junina tem toda uma lembrança gostosa. Na rua dos meus pais, a vizinhança fechava a rua 9com CET e tudo, rsrs) e era montado barracas de doces e salgados, fogueira e até barraca do beijo. Era um tempo de inocência e muita alegria.

    bjs,

    ResponderExcluir
  3. Ahhh as festas Juninas!!!
    Confesso que quando era criança não gostava muito não... pelo menos não as da escola... eu tinha q ir com aquela roupa feia, com aquela maquiagem q ficava coçando, e com aquelas pintinhas horríveis... hahaha
    Ai depois de mais velha eu comecei a gostar...
    Amoooo as comidas de festa junina...
    Hoje em dia amo de paixão...
    Sempre digo que as festas q mais gosto no ano são Festa Junina e Natal...rs
    Mas sinto saudades das festas que fazíamos na casa da minha tia avó... fizemos poucas, e agora depois de adulta... mas foram muito boas... e ótimas para celebrar os ultimos anos com ela...

    um beijo lindonaaa

    ResponderExcluir

Que bom que você veio!
Deixe aqui a sua impressão,
opinião ou recadinho.
Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...