Ache aqui o que você procura!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Filha caçula

Letícia, com sua cara mais sapeca


Sempre me perguntei do porque das mães mimarem mais seus filhos caçulas. Não falo em amar mais ou menos, mas em tratar diferente. Não é uma regra absoluta, mas é o mais comum que o filho com mais regalias seja o último.

Agora começo a entender um pouco mais sobre a mecânica que nos leva à isso: O filho menor só tem como parâmetro irmãos maiores! (óbvio, dãããã) Mas essa referência nos faz tratar o menor sempre como bebê, mesmo quando ela já esta muito crescido.

Quando falo de mimos, não é conceder privilégios, nem dar mais amor ou carinho, falo em se tratar aquele filho como se nunca fosse crescer, como se fosse sempre permanecer um bebê, ou se sempre fosse precisar do nosso cuidado, não importa se tem 1 ano de idade ou se tá mais perto de fazer 50. 

Também tem o fato de sabermos que aquele será nosso último bebê, o último que teremos o prazer de amamentar, acalentar, ninar, mimar... Não que não esperemos pelos netos, mas estes não serão nossa responsabilidade e nem sabemos se seremos próximos ou não, são mera possibilidade enquanto o nosso nenê é real e palpável. E mimável.

Claro que falo por mim, mas vejo muito disso por aí. Meu marido mesmo, aos 45 anos, ainda é o bebê da casa dele, mimado tanto pela mãe, quanto pelos irmãos. A minha caçula, na verdade é a que menos ganha colo, mas ainda trato ela como se tivesse 3 meses de idade e não um bebezão de um ano e meio, quase uma mocinha. Quando ela nasceu, as maninhas tinham a idade que ela tem hoje, e foram tratadas de maneira menos "fresca".

Fico sempre achando que ela não sabe se defender, que as manas irão machucá-la, que ela vai cair... Enfim, estou atrasando deliberadamente o desenvolvimento dela, querendo reter o tempo e mantê-la sempre pequenininha. 

É claro que não é isso que eu quero. Quero que ela aprenda, que fique grande, que seja uma mocinha igual às outras, mas me vejo instintivamente tentando que ela permaneça sempre um bebê. Me dói perceber que faço isso, muito mais do que a dor de ver meus bebê crescerem e ficarem independentes cada vez mais de mim. 

Sou só a mãe delas, minha função é segurar suas mãozinhas para aprenderem a andar, depois elas terão mesmo que correr e eu não conseguirei mais acompanhá-las.

Aos poucos estou tentando dar mais autonomia pra minha pequena e vejo o quanto ela gosta disso, tanto quanto gosta de ser mimada e tratada como o bebê da casa.

Ela tá crescendo, é linda, é muito esperta e sempre me faz rir. Preciso deixá-la crescer. Mas ela sempre será o meu bebê.

E vcs, tem histórias pra contar de filhos caçulas?













.
Comentários
18 Comentários

18 comentários:

  1. Adoro o jeito como vc escreve!
    E eis que até nisso cuspi pra cima? É verdade, consciente ou inconscientemente, tratamos o caçula como se bb fosse. Independente da idade.
    Aqui em casa é bem parecido, viu?

    Sua pequena é linda. nhóóoo...mima, mima.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Que lindo isso! Sabe que até hj acho que meu irmão mais novo vai fazer 18 anos??? Que tola, mas ele é meu irmãozinho! E aqui, as gêmeas são as caçulas, então quero que elas fiquem assim pra sempre! Coisa bem boa!
    Beijos,
    Gabi
    minhas3filhaslindas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. A minha além de ser caçula, é a única menina!!! Já viu, né?
    Mimada por todos até não poder mais...

    Mas fico de olho pra ela não ficar muito fresca, pois não suporto frescurite desnecessária!!!

    As outras frescurites eu deixo!!!

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Tuka, como não tenho filhos, vou falar da minha experiência como filha caçula: minha mãe tenta de todas as formas tratar meu irmão e eu de forma igual, mas no nosso caso, o caçula parece ele.
    Minha mãe o trato como um bebê e ainda diz que quando ela morrer eu que terei que tomar conta dele. Mesmo sendo casado, é ela que o leva ao médico e entra junto no consultório.
    Posso com isso!? rsrsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. será que será o ultimo bebê ???...rs....

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Tuka!
    Acho que você definiu muito bem.
    Não se trata de gostar mais, mas de achar que o caçula será sempre um bebezinho, independe da idade. Por isso mesmo,,,, por saber que ele é o último.
    O meu o trato assim também, com mais manha...rs
    Xeros

    ResponderExcluir
  7. Olá Tuka
    Fui caçula durante 11 anos, quando meu irmão nasceu, perdi o trono, aí quem paparicava ele era meu irmão mais velho e eu. Virei só o filho do meio rsrsrsr
    Bjux

    ResponderExcluir
  8. Sou só a mãe delas, minha função é segurar suas mãozinhas para aprenderem a andar, depois elas terão mesmo que correr e eu não conseguirei mais acompanhá-las.

    Chorei neh?

    E ó, já pedi, pedi, pedi...
    Dá ela pra mim????????????????????????????????

    AMO essa carinha!

    ResponderExcluir
  9. Oi minha linda
    passando pra dizerque me perdoe pela ausência e desejar que tenhas um excelente finald e semana
    bjus
    lo you

    ResponderExcluir
  10. Oi Tuka,
    estava pensando nisso essa semana. Tinha a Ana Luiza como a minha bebê, a achava tão pequena ... Aí chegou a Sofia, realmente um bebê. De repente, de umdia para o outro, a Ana Luiza ficou uma menina grande.
    Agora a Sofia está quase com a idade que a Ana Luiza tinha que a irmã nasceu e como eu não tenho outro bebê, a Sofia está longe de virar uma menina grande no meu ponto de vista.
    E aí, continua sendo mimada.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Ah, São Paulo é muito legal mesmo. E os passeios com uma programçaõo para mãe ficam ótimos.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Sempre achei que o caçula(no meus caso, caçulaS) fossem tratados com menos frecura. E são mais "espertos" pq tendo irmão mais velho em casa tem que aprender a se defender desde cedo senão sai perdendo! Sou muito mais tranquila em relação aos menores do que fui com Stella! Não acho que seja mimo, mas o menor pela sua pouca idade acaba sendo mais dependente do que os maiores e assim consequentemente ganham mais atenção. Mas depois de adulto... não sei não! Verei um dia! rs...
    Bjkas querida! =)

    ResponderExcluir
  13. Engracado, ne'? Eu ja' acho que mimei mais a do meio! kkkkk! Fiquei com medo daquela historia de "filho sanduiche" sofre... e blablabla! Mas dou duro nos tres! e dou manha pros tres tb!!!! Aiiiiiiiiii.... eles estao crescendo...........
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Não tenho história de filhos ainda, mas aqui em casa eu sou a caçula... E aqui foi diferente. Quando minha irmã mais velha nasceu ela teve um probleminha de deslocamento da perna direita, passou maus bocados e por isso acabou precisando de muitos cuidados...
    Quando nasci claro q tive meus cuidados e muito zelo por parte dos meus pais... Mas acabei sendo mais independente e menos mimada. Não q eu não seja bem mimadinha =p mas eu acabei crescendo deixando espaço maior pra ela, e as vezes me fazendo de transparente pra q isso acontecesse sem q eles ficassem mal com isso. :) bjus Tuka

    ResponderExcluir
  15. concordo plenamente com voce, Tuka!
    nao e' que mimamos mais, mas parece que sempre e' ainda aquele bebezinho, aquela criancinha que ainda esta engatinhando, rsrs.

    eu, apesar de ser cacula nunca fui mimada (minha mae tinha certa bronca de ter nascido menina, e feeeeeia), e eu sofria porque todo mundo asossiava cacula com mimada (na verdade eu era revoltada,triste), enquanto minha mae mimava minha irma 2 anos mais velha.

    bjka

    ResponderExcluir
  16. Engracado, ne'? Eu ja' acho que mimei mais a do meio! kkkkk! Fiquei com medo daquela historia de "filho sanduiche" sofre... e blablabla! Mas dou duro nos tres! e dou manha pros tres tb!!!! Aiiiiiiiiii.... eles estao crescendo...........
    Bjs!

    ResponderExcluir

Que bom que você veio!
Deixe aqui a sua impressão,
opinião ou recadinho.
Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...